São Paulo, (sexta-feira) 2 de março de 2018.

Á

SECRETARIA MUNICIPAL DE TRANSPORTES – SMT

smtcel@prefeitura.sp.gov.br – a/c Sr. Marcelo José Brandão Machado

 

São Paulo Transportes S. A. - SPTRANS

sac@sptrans.com.br – a/c Sr. José Carlos Nunes Martinelli

 

Prezados Senhores:

Parece que os nossos administradores da SMT estão muito preocupados com o bem-estar da população paulistana. Realmente, parece que os “técnicos em transporte” nunca andaram nos ônibus que eles controlam. Parece que estão descobrindo a “roda” de uma forma diferente de rodar. A experiência adquirida ao longo do tempo, não foi o suficiente para ver onde estão os problemas do transporte público.

Muitas linhas estão com itinerários longos e que podem ser cortadas. Conforme sugestão que fiz para a antiga Linha 8171/10 - Perus / Pinheiros da Cooperativa Fênix e que a SMT criou duas linhas a 199D/10 - Vila Iório / Pinheiros da Santa Brígida e a 1017/10 - Perus / Vila Iório da Spencer. Agora a linha 1017/10 será extinta, como ficam os passageiros dessa linha?

Também a linha 1034/10 - Vila Iório / Vila Iara será extinta, como ficarão os passageiros dessa linha?

Não houve nenhum comunicado para que os passageiros dessas linhas se programassem, como nas demais linhas extintas e reprogramadas com cortes do percurso. Será que os técnicos darão explicações detalhadas?Ou a população terá que procurar através dos meios disponíveis?

A solução dos transportes públicos é uma questão de cada região. Querem fazer um macro projeto para uma grande cidade e adaptar os tópicos como se fossem iguais em todo o território da nossa capital.

A população estava se adaptando com os terminais construídos há menos de cinco anos com itinerários definidos, agora querem fazer uma licitação com alteração para que nos ajustemos às regras de um regulamento que certamente vai prejudicar toda uma população ordeira.

O transporte público não é luxo para a população, é uma necessidade diária, precisamos de menos intervalos entre as partidas, com isso teremos mais ônibus com menos lotação de passageiros nos pontos e nos ônibus, haverá mais segurança para os usuários.

Sugerimos que os projetos sejam “regionalizados” para atendimentos específicos.

Atenciosamente,

Jayme Pereira da Silva

jaymensagens@globo.com

www.jaymesilva.com.br